quarta-feira, 7 de novembro de 2007

DIREITO DE RESPOSTA

Após a publicação de um comentário anónimo na mensagem com o título "Nota do Presidente da Federação", recebi este texto que estou na obrigação de igualmente publicar:

Num estado democrático é dever dos cidadãos manifestarem o seu desagrado para com as situações com as quais não estão de acordo. Da mesma forma, a manifestação de apreço para com os factos dignos de consideração são louváveis.

Sobre a informação existente no “nosso site” estou de acordo. Não está actualizada e não é aquela que almejamos. E porquê?

Porque a FPS não tem dinheiro para tal.

  1. A sua colocação “on line” foi paga por fundos privados.
  2. A sua construção foi efectuada com carolice por amigos que trabalham, sem nada receber, e que se sentem recompensados com as visitas que a mesma recebe.

No entanto nenhuma informação que esteja na nossa página é falsa ou privilegie seja quem for que não a modalidade.

Depreendo pelo teor das suas questões não seja praticante de Savate em Portugal. No entanto caso tenha, ou tivesse dúvidas sobre as mesmas, não se tentou informar junto do email da FPS para que obtivesse as devidas respostas. Eu nunca recepcionei nenhum email alusivo a esse tema.

Nenhumas das questões lá colocadas ficaram sem resposta.

Por isso não compreendo o seu interesse.

Mas depois verifico que possui algum conhecimento da realidade do Savate em Portugal. Sabe que há atletas do Norte, Centro e Sul. E que todos são portugueses. E que devem estar unidos. E que a Federação parece que nem existe.

Cabe-me a incumbência, como presidente da Federação Portuguesa de Savate, de o informar das suas dúvidas:

1. A Federação Portuguesa de Savate existe, tem direcção, tem os estatutos publicados em Diário da Republica e é membro da Federação Internacional de Savate.

2. Se não se encontra publicada a informação sobre atletas, o campeonato da Europa e os resultados, é porque nós optamos por trabalhar no mundo real para que os resultados acontecessem, deixando o mundo virtual para mais tarde, quando tivéssemos algo que muito nos orgulha para exibir.

3. Sobre quem dá a cara, posso ser eu. Mas não conheço a sua pois optou pelo anonimato. São opções válidas num regime democrático. E eu respeito.

4. As instituições são formadas por pessoas. A letra maiúscula provém das pessoas que lá estão e não da instituição. E em termos de trabalho em dois anos temos o seguinte:

a) Adesão à Federação Internacional de Savate. Para tal houve uma “fiscalização” da FIS à nossa federação para verificar os cumprimentos de normas internacionais.

b) Estágio em Carcassonne, França, com 16 atletas portugueses

c) Graduações com elementos da Federação Francesa de Savate Boxe Francês. Em 2005 e em 2006.

d) Três encontros competitivos que resultaram em eliminatórias para os Campeonatos Internacionais respectivos. Uma próxima de Felgueiras e duas no Coliseu dos Desportos de Combate, em Alcabideche.

e) Participação no Campeonato do Mundo de Savate, Paris 2006. Resultado desportivo de relevo com uma medalha de Bronze.

f) Participação na Gala de Trévise – Plessis, Paris, com vitória do atleta português.

g) Participação na Gala de Collegien, Paris, de um atleta português com um nulo, o que consistiu num excelente resultado face às características adversas do combate e do adversário.

h) Participação no Campeonato da Europa de Savate, Tournai, 2007. Uma medalha de Prata e uma Medalha de Bronze.

i) Estágio de Savate e Canne de Combate, em Alcabideche, conduzido por Pedro Glória.

j) Graduações efectuadas por todo o país sob o “chapéu legal” da FPS.

k) Criação do site da FPS

l) Processo de adesão ao Comité Olímpico de Portugal.

m) Criação do equipamento da Federação Portuguesa de Savate.

n) Estágio técnico em Felgueiras


Esta informação não está completa pois os nossos trunfos são para jogar na altura certa.

5. Se me pergunta se a federação não existe, deixe-me informá-lo que nada do que acima foi indicado seria possível sem a existência da Federação Portuguesa de Savate, que foi criada por quatro patetas, entre os quais eu, com dispêndio monetário dos próprios.

6. Sobre atletas unidos, o que quer dizer? Um slogan revolucionário, pós-25 de Abril ou tem conhecimento de factos que eu desconheço? Se os tem gostaria que os revelasse. Deste modo prestava-nos um favor pois permitir-nos-ia sanear essa situação.

7. Para mim não há Norte, Centro e Sul. Só PORTUGAL.

8. O protesto a que se refere é meu. Está no blogue do Pedro Glória pois o Pedro é para mim a referência do Boxe Francês em Portugal. É de pessoas como ele que a Federação Portuguesa de Savate precisa. PESSOAS QUE TRABALHAM. Mas não é essa a única razão. Está lá porque é o Pedro que incansavelmente traduz todo o material para língua francesa que está no nosso site. E igualmente o meu amigo Marcelo Flores também procede à tradução para língua inglesa.

9. Aquele protesto é para figurar na página do nosso site e só me vincula a mim, pois não implico a FPS nos meus actos, por mais tresloucados que possam ser ou parecer.

10. Como a sua nota foi elaborada “em termos construtivos”, espero contar com o seu contributo para com a Federação Portuguesa de Savate, pois todos somos poucos e nenhum é dispensável.

Obrigado.

Álvaro Terezo

Presidente da Federação Portuguesa de Savate

7 comentários:

Anónimo disse...

vamos la ter calma ... o melhor para o savate em portugal e reunir treinadores ... todo o pessoal ligado a modalidade e falar ...

vamos la marcar isso !

para alguma duvida em meu respeito este e meu numero 913513850

leonel soares pereira

Sara Flores disse...

Depois de ler o comentário inicialmente anónimo, parece-me importante focar alguns pontos.
Dúvidas como "Quem faz parte da direcção?"; "Que campeonatos se irão desenrolar?"; "Quem representa Portugal?"; etc, revelam uma grande falta de informação!
Concordo que a informação disponível no site da FPS não esteja actualizada, mas isso sucede não só pelos motivos que o Álvaro já enumerou, que eu não vou repetir. Mas gostava de salientar que foi criado em fundos privados, dos quais todos beneficiam, mesmo que não tinham sido esses todos a contribuir para esses fundos!
Porém, esta falta de actualização do site, ocorre também devido a todos nós termos vida própria, obrigações, deveres e família. Não que estes atributos possam servir como uma constante desculpa, mas apenas porque o trabalho de esclarecimento de dúvidas no site, bem como a sua promoção e a publicação de tudo o que esteja associado ao Boxe Francês-Savate, deveria ser efectuado por todos os elementos integrantes da Federação, e isso inclui todos os atletas, sem excepção.
Estas tarefas não podem, de todo, ser incumbidas a uma só pessoa, sobretudo quando é sempre a mesma!
Relativamente à "falta de divulgação" do campeonato europeu, parece-me que essa mesma divulgação (seja por que meio for veículada) tem de partir, mais uma vez, de todos os que pertencem à Federação, pois se há muito para trabalhar com o intuito de construir uma Federação com F maiúsculo, somos melhores unidos do que separados pelas NUT II!!
Quem dá a cara? É dada pelo Álvaro - o Presidente - mas dessa "cara" também os outros elementos têm de ser responsáveis. É bom salientar que o Álvaro é Presidente porque há atletas a praticar a modalidade no nosso país, e a entrar em competições. Se assim não fosse, porque se justificaria uma Federação?
Enquanto não formos um todo, e percebermos que representamos todos a mesma selecção, que é PORTUGAL, e sobretudo que lutamos TODOS pelo mesmo objectivo, será manifestosamente difícil atingir metas mais competitivas, e até desenvolver a Federação.
Para terminar, embora toda a informação do site da FPS não esteja actualizada como devia estar, existe um ícone no site que diz: Contactos. Qualquer pessoa que pretenda uma informação, pode escrever ou telefonar! Acho que já não vivemos numa era rudimentar de telecomunicações!
Só me resta dar os parabéns a todos os atletas, em especial ao Nelson, que fez 5 combates no mesmo dia, já não me alargando para o episódio na hora da final...
E agradeço também ao Álvaro, que é um grande motor do Boxe Francês-Savate em Portugal!
Muito obrigada!

Sara Flores

Luva de Prata disse...

Publicarei todos os vossos comentários sem moderar, desde sejam feitos de forma clara, com respeito e sem ofensas.
Inicialmente tinha criado um fórum, parecendo-me o local indicado para debater certos temas ou esclarecer dúvidas. Aparentemente preferem fazê-lo no blog. Por mim tudo bem.

Saudações a todos os "Savateurs" de Portugal.

Pedro da Glória

Anónimo disse...

"Queixei-me" que quando vou ao site da FPS não encontro notícias actualizadas nem informação sobre quem faz parte da Federação(o único nome que lá aparece é o do Presidente...)
Nunca pensei que esse desabafo fosse gerar uma resposta tão longa de revolta!! Ideias construtivas:
Se o problema é dinheiro, o Google fornece páginas de internet de borla... (Google Page Creator) ou então a FPS pode construir um Blog (também de borla), onde pode divulgar todos os acontecimentos, passados e futuros, os estágios, encontros, cursos, campeonatos, resultados das competições, fotos, etc... É o mundo virtual, mas é esse mundo que une e aproxima o mundo real. (Portugal é extenso, não é só Lisboa!!) É essa preocupação de aproximação ao país inteiro que falta! Felizmente há treinadores/atletas que se aperceberam dessa necessidade e utilidade e através dos seus blogs vão divulgando a modalidade. Felizmente através desses blogs consegue-se perceber que o Savate está vivo em Portugal e recomenda-se!
Um bom trabalho e muita paz!

Pedro, Maria, Inês... que interessa?

Marcelo Flores disse...

Nós somos um produto do nosso tempo e ainda bem. O maior erro que poderíamos fazer seria estar a viver no século XXI com padrões, por exemplo, do século XVI. E com isto quero falar sobre a internet. Ainda há dias eu e o Pedro Glória falavamos de uma forma positiva sobre as vantagens que ela nos possibilitou. Porém, dá-me a impressão que este comentador anónimo (e como outros já notaram isso é uma opção pessoal) apresenta um discurso algo metafísico. Onde quero chegar? Espanta-me que esta pessoa venha apontar o dedo a quem seja (e aqui aproveito para citar este cidadão “Há muito a repensar e muito a trabalhar para construir uma Federação com F grande“) a não ser quanto muito numa situação de picardia que frequentemente acontece com a canalha da escola primária. Exemplo: – “o meu pai tem um carro melhor do que o teu”, apregoa o João olhando fulminantemente para o Luís. Seguindo esta lógica, esta pessoa poderia dizer algo como: – “Eu pertenço a uma federação mais antiga, com mais subsídios e com um corpo dirigente mais sólido do que a vossa (FPS)”. E pronto, todos íamos contentes para casa porque, provavelmente, tratar-se-ia da mais pura das verdades, uma vez que a FPS é apenas um infante em termos de existência.

O que me surpreende, contudo, é que o nosso comentador está bastante interessado na FPS, querendo satisfações da mesma. E nós damos-lhe com todo o gosto. E como é veiculada essa informação? Através da internet que afinal de contas até parece que usamos. E quem usa? Até ao momento usa o Pedro Glória a quem todos devemos muito e não só este blog (não sei até que ponto conhece a situação e a história do Boxe Francês em Portugal, mas este também não é o momento para falar nisso; fica apenas o lembrete), o Álvaro Terezo – o tal que tem as costas largas (tão largas que nem deve caber nas portas) devido ao cargo de presidente que ocupa e que mal ou bem (já lá chegarei) vai fazendo muitas coisas e o mesmo não se pode dizer de outras pessoas que tem responsabilidades para com a Federação porque foram escolhidos ou propuseram-se em assembleia pública a desempenhar um cargo para este organismo, O Leonel Pereira que ainda não tive o prazer de o conhecer pessoalmente e eu, Marcelo Flores estamos a alimentar uma questão muito pouco importante quando poderíamos estar a fazer outras coisas. Mas mesmo assim batemo-nos pela verdade e pela justiça e por louvar o que de bom foi feito e continuará a ser feito. Concluo que numa questão de nem dois dias, há pelo menos várias pessoas interessadas com o que se passa com o Boxe Francês em Portugal e, surpreendentemente, a utilizar a internet.

Ainda agora falei do Leonel (que resssalvo não conhecer pessoalmente). A história dele, resumidamente, é algo deste género (Leonel corrige-me se estiver enganado): é um atleta que esteve fora de Portugal, regressou ao país mas antes disso contactou a FPS e para quê? Para saber como podia proceder para ensinar ao abrigo da FPS, contando o seu historial e tratando dos trâmites necessários juntamente da FPS para que tudo estivesse dentro da normalidade. Nada que seja de espantar. Comecei este comentário dizendo que somos um produto do nosso tempo. Viva a internet.

Há várias possibilidades onde o Leonel poderia ter ido buscar o contacto da FPS: no site oficial da mesma, através do newsgroup da Federação (e para quem não sabe, mesmo desactualizado, aqui fica o endereço deste forum http://groups.yahoo.com/group/fpsavate), através do blog e forum do Pedro Glória (que felizmente está a crescer em termos de expressão), através da página da Federação Internacional de Savate, à qual a FPS pertence (http://www.fisavate.com/fede_voir.asp?indice=30), onde inclusivamente vêm todos os contactos pessoais do presidente, em detrimento do mesmo ou, através do blog do Joaquim Ferreira, o vice-presidente desportivo da FPS (http://savate-boxefrances.blogspot.com), ou ainda e mais recentemente através do blog de Paulo Silva (http://luva-douro.blogspot.com/). Posteriormente, o Leonel Pereira (http://savatebf.blog.com) criou o seu próprio blog. Quero com esta lista demonstrar que quem procura encontra. Além do site oficial da FPS há mais sites que podem prestar essa informação através dos seus moderadores/utentes. Afinal de contas trabalhamos todos para o mesmo. O desenvolvimento do Boxe Francês em Portugal.

Mas será que o cidadão visitou mais algum site além do oficial? Não que fosse necessário note-se. E não é necessário porquê? Porque a FPS tem várias pessoas que monitorizam o email da Federação prontas a responder e qualquer dúvida que as pessoas possam ter. Mas nenhum email ficou sem resposta, nem alguma vez recebemos um segundo email a dizer que não tinha tido resposta ao primeiro.

E por último e já que se fala tanto na internet, porque não uma saudável pesquisa num motor de busca? Bastantes resultados saltam à vista em páginas unicamente portuguesas.

Outra coisa coisa que reparei é que o cidadão gosta muito colocar a ênfase na temática geográfica. É um tema recorrente no seu discurso e não consigo entender a sua motivação quando ninguém fala nisso. Tem alguma pedra no sapato que gostaria de partilhar connosco?

E todos sabemos que não precisamos de domínios caríssimos para ter a nossa informação online mas é preciso então que haja peritos para o fazer e, acima de tudo, é preciso que dispendamos tempo das nossas vidas privadas para isso progredir. Portanto mais uma vez percebeu mal e interpretou de forma demasiado simplista quando o presidente referiu os fundos privados que alguns membros já dispenderam. Acaso pensa que se cria uma Federação sem burocracias e sem contrapartidas económicas? Está enganado a esse repeito.

Vou apenas terminar com uma situação pessoal que ilustra um ponto que tento provar desde o início desta já longa intervenção. Estou neste momento no Canadá, embora continue muito por dentro do que se passa em Portugal. Antes de vir para cá tentei contactar a Federação Canadiana de Savate. Não tem site na internet. Mesmo assim, através de pesquisa por ginásios em motores de busca, consegui arranjar o contacto da presidente da respectiva Federação. Comunicámos via email e agora estou a praticar num ginásio por ela aconselhado. Ora para um país tão maior que Portugal e sem site na internet, de acordo com a sua lógica e abro um parenteses para o citar (“É o mundo virtual, mas é esse mundo que une e aproxima o mundo real”), o Canadá não deveria ter realidade desportiva a nível do Boxe Francês. Porém, vemos que no último campeonato do mundo a sua delegação era cerca de três vezes a delegação portuguesa. E estão presentes agora com duas atletas nas finais dos mundiais femininos de combate que se realizam para a semana. Logo, das duas uma, ou a sua lógica é inepta ou o cidadão fala numa outra língua diferente da de todos os membros da FPS que apenas querem o melhor para a mesma. A internet é importante, mas é muito mais importante treinar e competir, seja em contexto nacional ou internacional.

Realmente, e para fechar, o nome não interessa. O cidadão manifesta a sua opinião. Estamos conscientes das nossas limitações e fazemos o possível por melhorar e isto é tudo à custa do nosso tempo privado, pois como sabe o Boxe Francês não é um desporto profissional. Porém, para quê manifestar a sua opinião se não quer contribuir? Se o cidadão quiser juntar-se a FPS, como já pôde perceber, toda a ajuda é bem-vinda. Nós somos os maiores críticos de nós mesmos MAS, e a diferença que existe entre as pessoas que escreveram aqui os seus comentários para o cidadão, é que essas pessoas fazem parte da Federação, tornam-na viva, mostram resultados a nível internacional (mesmo que não haja tempo para a internet, o que se fosse o inverso não seria possível, daí eu ter dito logo no início que as suas concepções são metafísicas e, acrescento, especulativas), enquanto que o cidadão é como o bom português, comodista, critica tudo e todos e nada faz para mudar a situação, preferindo estar de fora e a dizer mal quando podia estar a ajudar. Na verdade, é isto que eu não posso aceitar. Alguém de fora que não ajude mas critique. Mas que diabo lhe diz então respeito? Se quiser continuar de fora (opção que também lhe assiste evidentemente), deixe de ser egocêntrico e pusilânime. Já temos sarna suficiente para nos coçarmos.

Marcelo Flores

Anónimo disse...

Uma vez mais, e espero que seja a ultima pois o tempo que me ocupa inibe-me de trabalhar em algo mais proveitoso para o Savate e para os sócios da Federação Portuguesa de Savate, vou tentar esclarecer o que parece, provavelmente por culpa minha, que não ficou esclarecido no texto intitulado “Direito de Resposta.”

1. O senhor(a) não questionou a FPS, através do email respectivo, sobre qualquer tipo de informação que julgasse útil para a sua pessoa. Uma vez que mostra conhecimentos sobre ambiente WEB, tal não lhe seria difícil.
Julgo não ser errado depreender que não estava interessado em obter conhecimento sobre a matéria em causa.
2. O seu desabafo, que eu considerei construtivo, não gerou revolta da minha parte. Penso que fui educado o suficiente na minha resposta. No entanto verifico que não aceitou a minha proposta de colaboração. Os seus conhecimentos, caso pretenda trabalhar, ser-nos-iam bastante úteis.
3. O Savate é um desporto amador. No entanto a nossa atitude, enquanto FPS, é de profissionalismo. Como os meus conhecimentos informáticos são bastante ténues, para não dizer pior, tive o cuidado de visitar as páginas das federações que compõem a FIS. Não encontrei nenhuma que fosse constituída por BLOG. A página da federação apresenta informação institucional. Não é espaço de debate de ideias. É espaço sim para que todos os monitores coloquem “on line” informação que julguem pertinente. É essa a mensagem que está explicita na primeira página, não sei se é assim que se chama, assinada por mim. É que eu dou a cara. Assumo o que digo frontalmente. Os BLOGS, peço desculpa se estou enganado, são espaços pessoais para o confronto de ideias. Constituem o novo espaço público.
4. Caso tenha visitado o nosso “site”, toda a informação que refere está lá. No mundo virtual. Mas não é nesse mundo que se percebe que o Savate está vivo e que se recomenda. É quando se visita a sala do Joaquim Ferreira, do Leonel Soares, do Paulo Silva, do Francisco Abreu, o António Timóteo e da minha que se tem essa percepção. É no mundo real e não num qualquer “Game Boy”.
5. Mais uma vez o senhor(a) insiste num assunto que eu não entendo e, o senhor(a), não faz qualquer esforço para me elucidar. “Portugal é extenso, não é só Lisboa”. Não entendo. Eu não sou de Lisboa. Vivo no concelho de Sintra, numa bonita aldeia. Mas tal como Sócrates, o grego, eu sou um cidadão do mundo. Não tenho fronteiras nem limites imaginários a toldarem-me o espírito. A minha linha de horizonte é o infinito. Foi isso que tornou os portugueses das descobertas GRANDES.
O meu único bairrismo conhecido é por PORTUGAL, nas competições internacionais.
6. Para fazer obra é necessário trabalho. Projecta-se e executa-se. Neste caso sem dinheiro. Mas a obra vai falando por si. Não é a que queríamos, é apenas a que conseguimos. Sem a FPS o BF Savate não tinha a expressão nacional que hoje tem. Não sei se seria só Lisboa, Sintra, Magoito, Parede, Maia, Foz, Felgueiras e Caminha. Sei que hoje é Portugal, ainda que existam pessoas com o desejo do regresso ao passado. Do Orgulhosamente só.

Termino com o desejo que esteja disposto a trabalhar, pois pela minha parte, não falo por mais ninguém, será bem-vindo.
Não estamos em condições de desperdiçar o talento e a vontade de quem quer que seja.

UM BEM-HAJA.

Álvaro Terezo

Sara Flores disse...

Como o cidadão em anónimo referiu (vou adoptar o mesmo nome que o Marcelo, se me permitem), “queixou-se” que no site da FPS não estavam notícias actualizadas, e que só estava o nome do Presidente. Ora, permita-me que lhe diga que não deve ter verificado bem o site, já que mais não seja, onde diz: LOCAIS DE TREINO, tem não só o nome do Presidente, como também os outros locais de treino onde encontra a modalidade disponível, com os respectivos nomes associados, como o António Timóteo, Francisco Abreu, Joaquim Ferreira, Paulo Silva e Leonel Soares. E, no caso de não me ter feito entender no que referi acima, os assíduos desses locais de treino (sendo monitores ou não), são membros da Federação Portuguesa de Savate. Logo, e saliento uma vez mais, que esta e outras tarefas não podem estar só a cargo do Presidente Álvaro Terezo.

Ideias contrutivas? Ora, se o cidadão detém tantos conhcimentos informáticos, e manifesta tanto descontentamento acerca da falta de actualização do site da FPS, então eu também faço uma questão construtiva! Porque não se voluntaria para nos ajudar a criar um blog ou uma página de internet gratuita? Ou porque não se voluntaria para enriquecer a página que já está criada, actualizando-a? Toda a ajuda será muito bem vinda!
Ainda dentro desta temática, é importante sublinhar que não só as páginas na internet que foram efectuadas com fundos privados. Ou o cidadão pensa que “simples” acções como colocar os estatutos da federação em diário da república, ou dirigir-se à conservatória para promover os mesmos não têm custos? Têm custos sim, e não são tão simbólicos quanto isso!

Todavia, embora a informação não esteja actualizada no site, existem vários blogs de Savate, e um deles, é este mesmo e devemos ao Pedro Glória. E, num só dia, trocaram-se 5 comentários. Afinal até parece que a informação é veiculada em tempo real. Realmente é como o cidadão menciona “É o mundo virtual, mas é esse mundo que une e aproxima o mundo real.”

E este cidadão quererá afirmar-se? Já por duas vezes mencionou que Portugal não é só Lisboa! Se assim fosse, o atleta Leonel Soares não teria sido aceite aquando do seu contactado à Federação ao regressar a Portugal! O Leonel é monitor em Caminha, digam-me se estiver errada.

Por fim, e para terminar, os blogs têm a vantagem de poderem veicular informação, comentários, etc, em anonimato. É claro que o cidadão está no seu pleno direito de anonimato, mas se está tão interessado, e se até no primeiro comentário que elaborou, perguntou: “Quem dá a cara?!”, porque não toma uma postura de honestidade e dá a cara também? Ou será que tem alguma coisa a esconder? Ou então prefira ficar no anonimato, contudo, em vez de ficar sentado a observar e a criticar, empenhe-se neste trabalho connosco. Criticar o trabalho dos outros é extremamente fácil, se realmente não tem interesse, e isto não passa de uma pirraça, deixe-nos trabalhar como podemos e sabemos, certamente terá outros afazeres com que se preocupar.

Sara Flores